Por dentro da State University of New York: entrevista com o ex-aluno Flavio Ferreira

O conteúdo programático, professores e as universidades de prestígio são extremamente importantes na hora de escolher um curso internacional, mas aqui você também pode levar em conta a experiência do aluno. Confira o bate-papo que tivemos com o Flavio Ferreira, que foi nosso aluno do curso Corporate Financial Management, turma de julho de 2019, na SUNY.

Como foi o primeiro dia do programa?

O primeiro dia foi muito divertido por estar conhecendo os outros estudantes e até um pouco emocionante, pois tudo era novo para mim, que nunca havia saído do Brasil. Estava conhecendo as instalações da SUNY em New Paltz e toda a estrutura que fazia parte do programa. Eu praticamente já havia decorado o mapa do campus que a IBS Americas havia mandado para os alunos antes, mas ver num arquivo PDF é uma coisa e estar lá é outra totalmente diferente. Já conheci muita gente legal logo no primeiro dia e, depois das apresentações oficiais, me lembro que fomos até o supermercado, onde foi possível conhecer um pouco melhor o campus e a cidade de New Paltz.

Qual era sua rotina nos dias de aula? E no fim de semana?

Os dias de aula eram bem puxados, com a agenda cheia praticamente o dia todo, mas tudo era muito bom. Acordávamos cedinho para tomar café da manhã no refeitório da universidade, depois íamos para o primeiro horário de aula. Almoçávamos no refeitório e logo em seguida voltávamos para a sala de aula para o segundo tempo. Depois das aulas nos reuníamos na biblioteca ou nas áreas comuns do housing para fazer os trabalhos em grupo, preparar as apresentações e pesquisas. Só parávamos mesmo quando já estava anoitecendo (e olha que no verão de Nova York anoitece lá pelas 21h!), isso sem falar nas visitas em empresas que fizemos, que foram ótimas experiências profissionais. Foi uma sensação total de vida de estudante norte-americano. Nos finais de semana ficávamos livres para conhecer os lugares mais próximos. Preferi passar todos os finais de semana em Nova York, pois havia muita coisa pra conhecer.

Por que você escolheu estudar na SUNY New Paltz? Qual foi sua coisa favorita na universidade?

Confesso que escolhi a SUNY New Paltz pelo fato de estar próxima da cidade de Nova York e porque o campus me pareceu ser bem típico de filmes norte-americanos, mas também levei em consideração o programa do curso, que era exatamente o que eu buscava, dentro de gestão financeira, e nas informações sobre a universidade, que parecia ser bem séria e reconhecida. Depois que cheguei lá, me surpreendi positivamente pela organização das aulas e pela estrutura da universidade. Era tudo muito limpo e bem cuidado. Gostei muito do housing, onde tínhamos bastante áreas comuns e espaços livres para estudar, fazer trabalhos em grupo ou apenas relaxar um pouco e conversar com os amigos depois das aulas. 

Como eram os professores e as aulas?

Todos os professores que tive foram ótimos, tanto os de CFM quanto o professor de Business English, que inclusive foi um dos melhores que já tive a oportunidade de ter aula, nunca vou me esquecer do Professor James e das suas aulas incríveis de Business English! Mas todos os professores eram especialistas no assunto, dinâmicos e buscavam sempre exemplos aplicados não só aos Estados Unidos, mas também aos países dos alunos. Era interessante ouvir falar sobre empresas brasileiras e de outros países da América Latina, de onde eram a maioria dos alunos.

Além do curso, você aproveitou para conhecer outros pontos de NY? Se sim, qual lugar você mais gostou de visitar?

Sim, tentei ir em todos os pontos turísticos mais conhecidos e aproveitei para ir em lugares em que não têm muitos turistas também. Tentei ter uma experiência de quem mora por lá. Pude conhecer lugares clássicos como o Central Park, Estátua da Liberdade, Empire State e World Trade Center, também fui em bairros mais afastados do centro, como Harlem e Brooklyn. Como um bom nerd, é claro, gostei muito de ver os dinossauros no Museu de História Natural e as esculturas clássicas do Metropolitan Museum of Art, mas ganhei meu dia mesmo em algumas lojas de quadrinhos, action figures e videogames próximas da Times Square. Adorei passear também em Chinatown!

Como foi o dia da formatura?

O dia da formatura foi um dos mais divertidos! Todos estávamos muito satisfeitos por finalizarmos o curso, e também já começávamos a nos despedir, pois havíamos conhecido gente de todos os lugares do mundo. Ajudei alguns amigos a dar nó na gravata, rsrs. Na cerimônia pudemos agradecer aos professores e às equipes da IBS Americas e da SUNY que estiveram presentes, e depois fui aproveitar o último dia com o pessoal num pub próximo do campus.

No fim da experiência, o que você acha que mais te marcou no âmbito profissional? E no pessoal?

No âmbito profissional acredito que tenha sido a experiência de conhecer estudantes de vários lugares do mundo e ter a vivência de um estudante de ensino superior norte-americano. Conheci pessoas de quase todos os continentes durante o tempo que estive lá e adquiri um ótimo acréscimo no meu currículo. No pessoal, tive a oportunidade de fazer grandes amigos (alguns que até já reencontrei no Brasil e outros que pretendo reencontrar quando conhecer outros países) e conhecer a grandiosidade de uma das maiores e mais importantes cidades do mundo. Foi uma experiência inesquecível e que se pudesse viveria inteirinha de novo!


Obrigada pela entrevista e pelos registros de sua experiência internacional, Flavio! A IBS Americas deseja que você tenha muito sucesso na sua vida profissional.

E se você está lendo esse post e quer fazer como o Flavio, clique aqui e conheça mais sobre os cursos de curta duração disponíveis na State University of New York! Estudar três semanas em New York, ter aulas com professores PhDs, contato com alunos de diversos países, e visitar empresas na região vai lhe proporcionar uma experiência pessoal e profissional incrível. Não perca essa oportunidade de investir na sua carreira. Inscreva-se no processo seletivo de bolsas de estudo. São mais de 1500 alunos que todos os anos participam de nossos programas em instituições nos Estados Unidos e Europa.